segunda-feira, 8 de julho de 2013

Alimentos que contribuem para a fertilidade

A alimentação interfere na fertilidade, visto que, o excesso de alguns nutrientes leva ao excesso de peso e a algum descontrole hormonal. O aumento súbito da insulina, ou sua queda, altera as globulinas, que são proteínas que se ligam aos hormônios sexuais. Essa alteração brusca leva a um desequilíbrio dos hormônios sexuais, principalmente ao excesso de androgênios (hormônios sexuais masculinos) que levam a um bloqueio da ovulação.
       Devemos levar em consideração a relação entre a infertilidade e o peso. Mulheres muito magras e as que estão muito acima do peso têm maior dificuldade para engravidar. O maior volume de tecido adiposo aumenta a conversão do estrogênio em androgênio, que limita a ovulação. Mulheres gordinhas param de ovular. Por isso é de extrema importância manter o peso ideal para que a mulher volte a ter ciclos normais.
É fundamental manter uma dieta balanceada, rica em fibras como frutas e verduras, aumento no consumo de alimentos ricos em ômega-3. Evitar a ingestão de alimentos com alto índice glicêmico (arroz e pão refinado, batata, etc.), diminuir o consumo de carne vermelha e gordura trans.
Alguns alimentos que contribuem para o aumento da fertilidade

Vitamina A

A deficiência dessa vitamina pode levar a degeneração e queda do número de espermatozóides. 
Fontes alimentares: cenoura, batata-doce, ervilhas, couve-flor, espinafre, óleo de fígado de bacalhau e mamão, entre outros.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Importância do Magnésio na Atividade Física

Alguns atletas e desportistas que têm como objetivo o aumento de massa muscular e a melhora no desempenho, acabam se preocupando somente com o consumo de carboidratos, proteínas e gorduras, deixando de lado as vitaminas e minerais que são de suma importância para um bom desenvolvimento do organismo durante a atividade física.
O magnésio é um mineral que participa de diversas reações em nosso corpo. Uma das principais atividades voltada ao exercício é a sua participação na contração muscular. Existe um mecanismo da célula chamado bomba Cálcio/Magnésio, que ativa as fibras musculares para que estas se contraiam durante o exercício. Dessa forma, se não há magnésio suficiente, também não há contração muscular e consequentemente não ocorre aumento de massa magra. Outros fatores negativos são a tensão muscular e a dor generalizada no corpo pós-treino, que também estão relacionados à deficiência de magnésio, pois o nutriente atua no relaxamento muscular.

Caso você atleta queira melhorar a performance e rendimento, existe também um mecanismo na célula chamado bomba Sódio/Potássio, que é ativada pelo magnésio e faz com que o potássio entre na fibra muscular. Caso não haja magnésio, o potássio não penetra na célula, ocorrendo a tão conhecida cãibra. Logo, o praticante de atividade física, que ingere magnésio de forma inadequada ou insuficiente apresentará fadiga intensa como sintoma. Vale a pena ressaltar que a insônia é um indício clássico da deficiência de magnésio, o que também prejudica rendimento e ganho de massa muscular, afinal grande parte da síntese protéica (construção de massa magra) ocorre durante o sono, devido liberação do hormônio de crescimento chamado GH.

Alimentação nas doenças reumáticas

Super interessante e importante. Estou repassando perguntas e respostas sobre alimentação nas doenças reumáticas. É nessa época do ano, com tempos frios que os portadores de doenças reumáticas mais sofrem de dores. Mas fiquem atendo as dicas, a alimentação pode evitar os sintomas.

Sabemos que uma alimentação saudável é muito importante para todas as pessoas, no caso de pacientes reumáticos como se aplica esta recomendação?
A alimentação saudável é um importante instrumento que podemos utilizar tanto para conquistarmos uma melhor qualidade de vida quanto como prevenção e/ou tratamento de várias doenças, como por exemplo, as reumatológicas.
Considera que a população em geral está bem esclarecida sobre a importância de uma alimentação saudável? É no caso dos pacientes reumáticos isto é aplicável?
Ultimamente podemos notar uma preocupação da população, em geral, com a alimentação.
Com isso, a mídia está fazendo uma divulgação maior sobre dicas alimentares. Se pensarmos que por um lado isso é positivo por levar as informações a um número maior de pessoas, pelo lado negativo temos que avaliar se as informações passadas são cientificamente comprovadas e não só mitos ou marketing. Também temos que considerar que, às vezes, uma dica aparentemente saudável para a maioria das pessoas pode não ser para quem tem uma doença específica. Por isso o profissional nutricionista é o mais indicado para esclarecer sobre essas questões.

Sabemos que existem mais de 100 doenças reumáticas, existe alguma que tenha especificação maior do que pode e o que não pode em relação à nutrição?
No que se refere às doenças reumatológicas, uma alimentação adequada poderá trazer benefícios como a redução ou manutenção do peso corporal (importante para não sobrecarregar as articulações); consumo moderado de gorduras como prevenção de inflamações, problemas cardiovasculares e aterosclerose (complicações frequentes em pacientes com lúpus, dentre outras); consumo adequado de nutrientes como cálcio, importante no tratamento e prevenção da osteoporose e em uso de medicamentos que reduzam sua absorção; redução de sódio como prevenção de retenção hídrica (causada pelo uso de corticóides), edemas e hipertensão arterial; ingestão de vitamina E (nutriente antioxidante e antiinflamatório); enfim, o consumo alimentar nutricionalmente equilibrado proporcionará o fortalecimento do sistema imunológico e melhora do estado inflamatório, contribuindo para a melhora dos sintomas de doenças reumáticas.
Que cuidados com a alimentação devem ter os pacientes com doenças reumáticas em especial os portadores de artrites e lúpus?
A dietoterapia pode intervir de forma efetiva na artrite reumatóide (AR) e no lúpus eritematoso sistêmico (LES). Por serem doenças autoimunes e inflamatórias tendem a compartilhar as principais orientações nutricionais:
- Consumir alimentos de todos os grupos alimentares tornando o prato bem colorido para se obter a maior quantidade possível de vitaminas, minerais e antioxidantes. Isso fortalecerá o sistema imunológico.
- Alimentar-se com maior quantidade de fibras: verduras, legumes, frutas e cereais integrais (aveia, farelos, linhaça, granola, pães e biscoitos integrais)
- Ingerir alimentos fontes de vitamina A, E e selênio, por melhorarem o sistema imune protegendo o organismo contra infecções e por reduzirem a atividade inflamatória. A vitamina E também tem papel significante na redução da dor em pacientes com AR. As principais fontes desses nutrientes são: couve flor, brócolis, repolho, espinafre, couve, cenoura, tomate, abóbora, mamão, manga, leite (de preferência desnatado), castanhas, nozes, avelã, amêndoa e cereais integrais, principalmente a linhaça.
 - Aumentar o consumo de fontes de cálcio, principalmente no uso de corticóides: leite e iogurte desnatados, ricota, queijo fresco, cottage, queijo de soja (tofu) e vegetais verdes escuros.
- Controlar ao máximo o consumo de sal e de alimentos ricos em sódio: enlatados, sopas prontas, tempero do macarrão instantâneo, temperos e caldos industrializados, frios, embutidos, conservas, margarina com sal, salgadinhos de pacote.
- Restringir ao máximo o consumo de álcool e refrigerantes.
- Moderar o consumo de carboidratos para não elevar o peso e a glicemia (açúcar no sangue): doces, arroz, massas, batata, mandioca, farinhas e pães.
- Evitar ao máximo as preparações gordurosas que possam elevar o peso corpóreo e aumentar os níveis de colesterol e triglicérides: frituras, maionese, fast foods, carnes gordas, pele de frango, camarão, miúdos, bacon, lingüiça, salsicha, presunto, mortadela, salame, doces cremosos, queijos gordurosos, coco e sorvetes à base de leite.
- Aumentar o consumo de alimentos que contêm o ácido graxo polinsaturado ômega 3. Esse tipo de gordura tem a capacidade de prevenir doenças cardiovasculares por reduzir os níveis de colesterol e hipertensão, além de melhorar o estado inflamatório. O ômega 3 está presente em peixes como sardinha, atum, salmão, arenque, bacalhau, cavala, em sementes de linhaça, no óleo de peixe, no de canola e de soja, no azeite de oliva, nas castanhas, nozes e amêndoas.
- Não consumir os alimentos fontes de ômega 6. Esse tipo de gordura desempenha um papel agravante do estado inflamatório podendo causar uma destruição progressiva da cartilagem e do osso, principalmente na artrite reumatóide. Também foi implicada no aparecimento da proteinúria e edema na síndrome nefrótica (possível complicação do LES). Essa gordura é encontrada no óleo de milho, de girassol, de algodão, de açafrão e na semente de papoula.
- Finalmente, os pacientes com lúpus devem evitar ao máximo qualquer produto que contenha alfafa (comum em preparações na América do Norte), pois, segundo estudos, pode desenvolver os sintomas e/ou ativar a doença.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

VITAMINA D E EXPOSIÇÃO AO SOL

A vitamina D evita a depressão, osteoporose, câncer da próstata, câncer da mama e, até mesmo efeitos do diabetes e obesidade. A vitamina D é talvez o nutriente mais subestimado no mundo da nutrição. Isso é provavelmente porque é “gratuita”: seu corpo a produz quando a luz solar atinge a sua pele. As empresas farmacêuticas não podem lhe vender a luz solar, por isso não há promoção dos seus benefícios à saúde.

A maioria das pessoas não sabe destes fatos verdadeiros sobre a vitamina D:1. A vitamina D é produzida pela pele em resposta à exposição e radiação ultravioleta da luz solar natural.

2. Os saudáveis raios de luz solar natural que geram a vitamina D em suapele não atravessam o vidro e, por isto, seu organismo não produz vitaminaD quando você esta no carro, escritório ou em sua casa.


3. É quase impossível conseguir quantidades adequadas de vitamina D apartir da dieta. A exposição à luz solar é a única maneira confiável paraseu corpo dispor de vitamina D.


4. Seria necessária a ingestão diária de dez copos grandes de leite enriquecido com vitamina D para obter os níveis mínimos necessários devitamina D.


5. Quanto maior a distância da linha do equador e o lugar onde você vive,maior será a exposição ao sol necessária para gerar vitamina D, poisdepende do ângulo de incidência dos raios solares. Canadá, Reino Unido, amaior parte dos EUA estão longe do equador e maior parte do Brasil estáperto do equador.


6. Pessoas com a pigmentação escura da pele podem precisar de 20-30 vezesmais exposição à luz solar do que pessoas de pele clara para gerar a mesmaquantidade de vitamina D. Por isto, também, o câncer de próstata é muitofrequente entre homens negros - é a simples deficiência generalizada de luzsolar.


7. Níveis suficientes de vitamina D são essenciais para a absorção de cálcio nos intestinos. Sem vitamina D suficiente, seu corpo não podeabsorver o cálcio, tornando os suplementos de cálcio inúteis.

8. A deficiência crônica de vitamina D não pode ser revertida rapidamente. São necessários meses de suplementação de vitamina D e de exposição à luz solar para “reconstruir” os ossos e o sistema nervoso.

9. Mesmo filtros solares fracos (FPS = 8) bloqueiam em 95% a capacidade do seu corpo de gerar vitamina D. É por isto que o uso constante de protetores
solares provocam deficiência crítica de vitamina D.


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Falta de vitamina D pode elevar o peso

A escassez prejudica a produção de insulina pelo organismo e sobrecarrega o pâncreas, o que faz aumentar o apetite


Diferentemente do estigma popular, a absorção de vitamina D possui diversas outras funções no organismo, além do fortalecimento dos ossos e dentes.

Dentre elas, segundo especialista, está a participação, mesmo como coadjuvante, na luta contra a balança, o que tem contribuído para aumentar o número de adeptos aos nutracêuticos de vitamina D.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Bombom de paçoca com whey

Delicioso e energético: mata a vontade de comer doce, e fornece proteína e gorduras saudáveis do amendoim!

Ingredientes

  • 20g de whey protein sabor chocolate
  • 2colher(es) de sobremesa de coco ralado seco
  • 2colher(es) de sopa de leite em pó desnatado
  • 1 1/2colher(es) de sopa de pasta de amendoim (preferencialmente sem açúcar, ou caseira)
  • 1colher(es) de sobremesa rasa de óleo de coco (porém, pode ser necessário mais um pouco, tem que sentir a massa)
  • Chocolate amargo ou meio amargo ou ao leite derretido para cobrir os bombons depois de pronto

Pizza de Tofu

Os vegetais possuem muitos nutrientes, proteína, ferro e cálcio. Os vegetarianos escolhem uma gama de alimentos diferentes em sua dieta, e seus benefícios podem ser inúmeros, mas lembre-se de escolher as melhores opções para ter uma dieta equilibrada e saudável.


Ingredientes:
- 1 xícara de água morna
- 1 cebola ralada
- farinha de trigo ou de arroz (o suficiente para dar consistência)
- 1 colher rasa de fermento biológico
- sal marinho a gosto
- 1 xícara de gérmen de trigo
- ½ xícara de azeite de oliva, molho de tomate caseiro e orégano a gosto (para rechear a pizza)
- 200 g de queijo de soja (Tofu).
Modo de preparo:

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Absorção e inibição do cálcio

Focamos em nossa dieta a suplementação de cálcio, mas não paramos para nos perguntar o porquê de tanto cálcio consumido ser desperdiçado. Normalmente, absorvemos apenas cerca de 10% do cálcio ingerido. Falar então da dinâmica que impacta a absorção do cálcio pode ser interessante para as pessoas preocupadas em manter e construir ossos fortes. O cálcio é essencial para a transmissão nervosa, coagulação do sangue, contração muscular, atua também na respiração celular, além de garantir uma boa formação e manutenção de ossos e dentes. Por sua presença na formação óssea o cálcio é um dos elementos mais abundantes no corpo humano.

Entre os fatores que influenciam a absorção do cálcio há três reguladores principais do metabolismo do cálcio no organismo. As glândulas da paratireóide produzem um hormônio, o paratormonio, que retira o cálcio dos ossos para a corrente sanguínea. Também sinaliza aos rins para conservar o cálcio e outros minerais da urina. Além disso, o paratormonio sinaliza aos rins a produção de calcitrol, formado a partir da vitamina D, e também dá os sinais ao intestino delgado para absorver mais cálcio. A glândula tireóide secreta calcitonina, aumentando a mineralização dos ossos e diminuindo a proporção pela qual os ossos são lisados. Quaisquers fatores que interfiram com esse mecanismo, ou alterem o delicado equilíbrio, são fatores de risco para propiciar impactos negativos na mineralização óssea.

Os itens citados a seguir, muitos dos quais têm suas raízes na nossa dieta moderna, são fatores de risco, alguns com motivos surpreendentes na interferência com o metabolismo do cálcio:

1. Dietas ricas em ácido fítico, encontrado no farelo de grãos integrais, têm maiores chances de interferir com a absorção do cálcio. Este ácido se liga a vários minerais, incluindo o cálcio, para formar sais insolúveis, chamados de fitatos, que são eliminados pelo organismo. Provavelmente por serem os grãos uma fonte relativamente nova como alimentos, do ponto de vista da perspectiva evolucionária, parece que o trato digestório ainda não desenvolveu mecanismos para quebrar estes fitatos.

2. Dietas ricas em sódio podem interferir com a absorção do cálcio. Alguns pesquisadores acreditam que os níveis dietéticos de sódio foram extremamente baixos no passado, em comparação com as dietas modernas e o aumento da ingestão em sódio pode resultar em aumento da excreção do cálcio.

3. O ácido oxálico, encontrado com maior predominância na mandioca, espinafre, cenoura e rabanete, se liga ao cálcio, portanto o consumo contínuo destes alimentos deve ser evitado em pessoas com deficiência de cálcio. Suplementos de cálcio ingeridos juntamente com alimentos ricos em ácido oxálico podem fazer com que o oxalato de cálcio se precipite. O oxalato de cálcio precipitado é conhecido como pedras nos rins (cálculo renal). O ácido oxálico também é encontrado em menor quantidade na couve de folhas e de bruxelas, alho, feijão, batata-doce, brócolis e agrião, no entanto muitos destes últimos possuem quantidade significativas de cálcio. Deve-se observar também que a cenoura é uma das principais fontes vegetais de vitamina A, a abóbora poderia substituí-la em uma dieta.

4. A vitamina D é formada pela interação entre os raios de sol e os óleos da pele. Sem suplementação, podemos estar em risco de inadequação em vitamina D, pois atualmente passamos a maioria das horas de luz solar no interior das casas. Como mencionado anteriormente, esta vitamina é um fator regulador da absorção do cálcio. Considerando os níveis circulantes de vitamina D através dos anos, provavelmente foram mais ricos na Idade da Pedra, pois estiveram mais propensos a estarem expostos aos raios solares. Há evidências sugerindo que muitos idosos nos países ocidentais são deficientes em vitamina D. Tratar mulheres idosas com suplementação medicamentosa de vitamina D não é uma má idéia.

5. Nossa vida sedentária também interfere com a mineralização de nossos ossos. Nossos ancestrais foram muito mais ativos que somos. O estresse impacta nos ossos, como durante a caminhada ou exercícios, e tende a aumentar a produção de calcitonina, levando ao aumento de deposição do cálcio nos ossos. O estresse induzido por exercício aumenta a área cruzada seccionada e talvez a densidade mineral óssea. É importante notar que nadar e andar de bicicleta não são exercícios tão benéficos porque estas atividades não provocam a produção de calcitonina.

6. Ao mesmo tempo que as dietas modernas, no mundo ocidental, geralmente contêm bastante fontes de cálcio, oferecem níveis inadequados de magnésio. Os estudos das dietas pré-agrícolas de nossos ancestrais indicam que o magnésio era consumido na proporção de cerca de 1:1 em relação ao cálcio. Portanto, esta deveria ser a proporção estimada que nossos organismos deveriam ter. A proporção Ca:Mg nas dietas pós-agrícolas é de cerca de 4:1. Como tanto o cálcio como o magnésio competem pelos mesmos mecanismos de absorção, a ingestão desequilibrada associada com a nossa dieta moderna conduz à deficiência em magnésio. Uma das consequências da deficiência em magnésio é a inibição dos osteoblastos, células construtoras e mantenedoras dos ossos.

7. O açúcar foi correlacionado com a interferência do equilíbrio cálcio/fósforo. Melvin Page reportou que o açúcar aumenta o cálcio sanguíneo pela reabsorção do tecido ósseo. Embora o açúcar não possa estar implicado nas mudanças osteoporóticas, Li et al encontraram indicações claras de densidade óssea depletada em seu estudo animal com açúcar dietético.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Alimentos que pacientes com suspeita de Dengue devem evitar


O Brasil enfrenta este ano uma das maiores batalhas contra a Dengue que se alastra em vários municípios e estados. Minas Gerais é o mais atingido pela doença. Dados da Secretaria da Saúde do Estado, aponta 165.845 casos notificados, muito acima do registrado em todo o ano de 2012 (46.681). Também foram registrados 37 óbitos.

A ASBRAN, engajada nas campanhas de orientação ao cidadão, traz algumas informações importantes para o paciente com suspeita de Dengue no aspecto nutricional.

Os alimentos que contêm salicilatos e os de ação antitrombótica devem ser evitados em caso de suspeita da doença. Portanto, evite consumir ABRICÓ, AMEIXA FRESCA, AMÊNDOA, AMORA, BATATA, CEREJA, GROSELHA, LIMÃO, MAÇÃ, MELÃO, MORANGO, NECTARINA, NOZES, PASSA, PEPINO, PÊSSEGO, PIMENTA, TANGERINA, TOMATE e UVA.

Os alimentos que têm ação antitrombótica são: ALHO, CEBOLA, GENGIBRE.

A nutricionista ainda detalha sobre os derivados salicílicos, que diminuem a biodisponibilidade da vitamina C, os níveis séricos de folato - ferro e potássio e as proteínas plasmáticas. Ao mesmo tempo aumentam a excreção urinária das vitaminas B1, B6 e K. Podem provocar alterações gástricas, hipotensão, alergia, distúrbio do equilíbrio ácido-básico e fenômenos hemorrágicos que poderão gerar anemia.

Já o Paracetamol interfere na absorção das vitaminas B1 - B6 - K e folacina. "Dietas hiperglicídicas e contendo alto teor de pectina retardam sua absorção. Pode provocar alterações hepáticas", explica.
Ela ainda reforça a necessidade da hidratação que, nos casos de dengue, é fundamental. "A recomendação é ingerir, em média, 60 a 80 ml de líquido por quilo de peso dia. Assim, para uma pessoa de 60kg o volume ingerido deve variar de 3,6 litros a 4,8 litros dia, nos primeiros cinco dias. A administração deve ser fracionada em pequenos volumes de forma a evitar náuseas e vômitos", afirma Nelzir.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Enxaqueca: Uma questão alimentar?

A enxaqueca é caracterizada como uma dor de cabeça moderada ou severa, localizada no fronto-temporal unilateral ou bilateral, pulsátil ou pressão, muito comumente associada a náuseas (vômitos), intolerância a barulhos e a luz. A frequência pode variar muito de uma pessoa para outra. Acomete aproximadamente 12% da população feminina, principalmente em mulheres acima do peso, chegando a refletir um impacto na economia e na qualidade de vida. Dentre o grupo de celíacos, a incidência de enxaqueca aumenta para 18,6%.
Veja a diferença de dor de cabeça e enxaqueca: 

Os principais fatores associados a crises são:Insônia: geralmente pessoas com menos melatonina (hormônio da glândula pineal) tem enxaqueca. Destaco, que pessoas com o intestino não saudável geralmente apresentam menos melatonina.
Estresse, tensão Alterações hormonais: suspeita-se associação com o hormônio estradiol, sendo então, predominante durante o período menstrual, quanto este hormônio tem uma diminuição significativa. Além dos hormônios do ciclo menstrual, os opioides endógenos e serotonina também apresentam alterações nestes períodos.
Depressão e distúrbio da serotonina: a serotonina é um neurotransmissor, que tem com uma de suas funções, impedir estímulos como a dor. Tanto o excesso, como a falta pode contribuir para as crises.
A não amamentação materna exclusiva, vem sendo associado como fator, uma vez que o leite materno proporciona inúmeros benefícios como prevenção de deficiências nutricionais, equilíbrio de flora intestinal, melhora do sistema imunológico, entre outros.
Pré-disposição genética: onde podemos considerar fatores como, menor detoxificação do fígado, levando a alterações hormonais, bem como hábitos alimentares passados de geração para geração, entre outros.
Jejum prolongado: favorece a baixa concentração de glicose no sangue, o principal combustível e fundamental para formação da serotonina.
DesidrataçãoSensibilidade alimentar: Os estudos demonstram que, em 65% dos casos, fatores alimentares estão associados. Os principais alimentos são:

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Creatina e atividade física


A Creatina é um composto nitrogenado derivado dos aminoácidos glicina, arginina e metionina, encontrado principalmente nos músculos esqueléticos. É uma substância natural que nosso corpo produz para ter energia, sendo que a maioria das pessoas normalmente produz cerca de 2 g de creatina todos os dias, o que é suficiente para se ter um bom equilíbrio.

Os músculos são constituídos de aproximadamente 70% de água. A creatina ajuda a introduzir a água nas células musculares, dando-lhes volume. Os músculos ficam como que inchados e este processo ajuda na síntese de proteína. A creatina é encontrada principalmente na musculatura esquelética, mas também em outros tecidos como o músculo cardíaco, o cérebro, a retina e ainda os espermatozóides. 


A creatina tem como objetivo, ajudar na contração muscular, é reserva de energia para a regeneração do ATP, melhora o desempenho esportivo, e é utilizada como recursos ergogênicos para exercício de alta intensidade e curta duração. 

Podemos encontrar creatina em fontes alimentares (carne vermelha e peixe); endógena (pelo próprio organismo) e através de suplemento nutricional, que tem sido utilizada para otimização do desempenho de atividades físicas. 

Creatina e atividade física, funciona? 
Apesar da função energética da creatina na atividade física ser conhecida há décadas, apenas recentemente discute-se os possíveis efeitos ergogênicos da suplementação oral desse composto. Essa suplementação parece aumentar os estoques musculares de creatina. Muitos estudos disponíveis sugerem que a suplementação de creatina ajudaria no desempenho de atividades de curta duração e alta intensidade, particularmente em exercícios intermitentes com limitados intervalos para repouso. 

Coma brócolis!

Fica a dica! Beijos

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Alergia à proteína da vaca ou intolerância à lactose...você tem algum desses dois?

Você já deve ter ouvido falar da alergia às proteínas do leite de vaca (APLV) e da mais famosa intolerância à lactose não?

Como saber se você sofre de uma ou de outra? 


Na verdade, atualmente, existem muitos diagnósticos errados por aí. Muita gente achando que é intolerante à lactose e excluindo leite e derivados da dieta sem comprovação de que realmente exista uma intolerância, que em muitos casos, não existe. Assim como, existem muitas pessoas diagnosticadas erroneamente como intolerantes à lactose que não melhoram com a dieta restrita de leite e derivados porque têm na verdade APLV e deveriam cortar também carne de vaca da dieta e não só o leite. 

Bom, existem algumas diferenças entre elas. A APLV é mais rara e acomete mais crianças, enquanto a intolerância à lactose é mais frequente e acomete mais os adultos. 

Os sintomas gastrointestinais das duas podem ser bem parecidos, como diarréia, gases, estufamento abdominal, cólicas. Mas, na intolerância à lactose os sintomas são apenas gastrointestinais, enquanto na APLV ocorrem também manifestações alérgicas na pele e no aparelho respiratório. 

Na APLV o início dos sintomas costuma coincidir com o momento da introdução de leite de vaca na dieta, mas mesmo em aleitamento materno exclusivo, o lactente pode ser sensibilizado devido ao consumo de leite pela mãe.

Receita: Pão de coco sem glúten

Bom dia pessoal, a postagem de hoje é uma receitinha de pão de coco sem glúten. Sabemos que quem tem intolerância ao glúten sofre muito, pois é um mercado super carente de produtos, e quando se acha os preços não são tão agradáveis. Então ai vai uma dica para preparo. Ótimo feriado a todos!! Beijos

Ingredientes:

- 1 xícara de Polvilho Azedo;
- 1 xícara de Farinha de Arroz;
- 2 colheres de sopa bem cheias de Farelo de Arroz;
- 2 colheres de sopa bem cheias de Farelo de Soja;
- 2 colheres de sopa de Semente de Linhaça;
- 1 colher de sopa de Gergelim;
- 3 colheres de sopa de Açúcar Mascavo;
- 1 colher de sobremesa de Sal;
- 3 colheres de sopa de Óleo de coco extra virgem;
- 3 Ovos inteiros;
- 1 envelope de Fermento Rápido para pão.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Nutrição funcional



Com a Nutrição Funcional você aprende a comer certo. E você não passa fome! A combinação certa de alimentos que trazem diversos benefícios ao organismo fará você perder peso, melhorar seu humor, sua disposição e rendimento, além de melhorar cabelos, pele e unhas.

Agende sua consulta pelo fone 9909-1750 ou email: cristianeschmita.nutri@gmail.com

Você pode perder peso melhorando o seu intestino!


Boa noite queridos leitores, quero me desculpar pela ausência, a correria está grande! Mas vamos ao post. 
Muitos de vocês já leram matérias sobre o funcionamento do intestino e as consequências para o nosso corpo, não é mesmo?
Hoje irei falar do intestino não somente nos aspectos já conhecidos, mas também que o funcionamento correto do intestino é fundamental para perder peso porque está relacionado a modulação de hormônios que ajudam na saciedade (vontade de comer menos, quando está satisfeito).
Para o intestino funcionar bem não quer dizer que “ir ao banheiro” todos os dias é sinal de que ele está saudável. As fezes tem que ser marrom, lisas, sem rachaduras, odor característico, inteira, sem restos de alimentos, mucos ou sangue. Quando for eliminada não pode ter dificuldade ou ficar muito tempo no banheiro.
A produção de fezes saudáveis é muito relacionada ao tipo de alimentação da pessoa, atividade física, se ela fuma ou não, se  ingere bebida alcoólica, nível de estresse, ansiedade, depressão, ingestão de fibras, tamanho do intestino e principalmente ingestão de água.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Suco do bem estar

O triptofano é o aminoácido precursor da serotonina, o "hormônio do bem estar".
Suco fonte de triptofano

Suco de maracujá, couve e limão

segunda-feira, 8 de abril de 2013

RECEITA: Quiche proteico de ervas finas!

RECEITA: Quiche proteico de ervas finas no microondas.


Mais uma receita super simples, rápida e não suja louça (melhor parte rsrs)
Você vai precisar:
1 caneca (de preferência grande)
1 ovo inteiro
2 colheres de sopa de aveia em flocos (eu usei flocos médios)
1 colher de sobremesa de gergelim
1 scoop de whey sem sabor (opcional)
1 colher de sopa de queijo ralado (opcional se a pessoa não consome lactose)
Ervas finas e sal a gosto (eu usei orégano e alecrim)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Betacaroteno: cor e saúde!

Este carotenóide tem o poder de acelerar o bronzeado, melhorar a saúde e ajudar a manter a pele, o cabelo e as unhas mais fortes e brilhantes.
Existe um tipo de alimento que pode ajudar a dar uma força no seu bronzeado e proporcionar muitos benefícios ao seu organismo. Seu nome é betacaroteno e vale a pena conhecer mais sobre ele!
O betacaroteno é um tipo de carotenóide que dá cor aos vegetais amarelo-alaranjados. É um poderoso antioxidante que, ao ser ingerido, converte-se em vitamina A. Esta vitamina, apesar de fundamental, em grandes quantidades é tóxica para o organismo, mas quando é proveniente do betacaroteno, se há excesso, o corpo a excreta (ou seja: o corpo elimina as quantidades excedentes sem problemas).
Os alimentos mais ricos em betacaroteno são, além da cenoura e da beterraba, a abóbora, a batata doce, a manga e o mamão. Outras fontes são os vegetais folhosos como a couve, o espinafre, o agrião, o brócolis e o repolho. Por ser antioxidante, o betacaroteno ajuda a prevenir o envelhecimento precoce e tem a função de reforçar o sistema imunológico. Ele também colabora para aumentar a elasticidade da pele e auxilia na formação da melanina, que além de ser responsável pela cor, funciona como uma proteção extra contra os raios UVB.

Seis alimentos para cabelos perfeitos!

Bom dia pessoal, hoje vou falar um pouquinho de alguns alimentos que ajudam na saúde dos cabelos. No consultório percebo e ouço relatos de cabeços quebradiços, opacos ...
Claro que a química utilizada prejudica-os, porém existem alimentos que normalmente não faz parte da dieta das pessoas que contribui muito para se ter um cabelo lindo. Veja quais são! 



Cenoura/Abóbora
Todos os alimentos alaranjados possuem betacaroteno que ajudam na vitalidade e crescimento do cabelo. Por conterem antioxidades contribuem também para que não haja estresse oxidativo, evitando a queda de cabelo e os cabelos grisalhos.
Eles podem ser consumidos à vontade e diariamente. Para maior aproveitamento do betacaroteno, é melhor consumi-los crus e com uma fonte de gordura como o azeite.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Mini Pudim de Chia com Proteína



A chia tem ainda antioxidantes, cálcio, magnésio e ferro.
Pessoas com síndrome do intestino irritável devem ser bem cautelosas no uso de sementes em geral e seguir orientações de médico e nutricionista. Fora isso, a chia não tem contraindicações.
Comece com 1 colher de sopa ao dia e aumente para 2.

Ingredientes

  • 1/2xícara(s) de chá de semente de chia deixada de molho em 1 xícara (chá) de água, por uns 20 minutos
  • 1colher(es) de sopa de cacau em pó
  • 1scoop(s) de whey protein (preferencialmente sabor chocolate) ou 2 colheres (sopa) de colágeno em pó ou proteína de arroz ou 2 colheres de sopa cheias de tofu (preferencialmente orgânico) amassado
  • 3/4de tâmaras bem picadas levadas ao fogo com 3/4 xícara (chá) de água
  • 1colher(es) de sopa açúcar orgânico ou de fibra FOS (frutooligossacarídeo – que é naturalmente doce, e ajuda a realçar sabor do doce, a venda em algumas farmácias) - opcional

sábado, 30 de março de 2013

Quero desejar a todos uma Feliz Páscoa. Porém não exagerem no chocolate, lembrem-se que chocolate podemos comer sempre. O consumo excessivo de chocolate pode trazer alguns quilnhos a mais, e dependendo da quantidade durante a semana não conseguimos queimá-las. Por isso coma consciente! Beijão e fiquem com Deus.

Dra: Cristiane Schmitz
Nutricionista CRN 10 3403

segunda-feira, 25 de março de 2013

Suco para diminuir o estresse!


Bom dia, no início da semana conseguimos perceber se estamos estressados! Após um final de semana relaxante ter que voltar a semana as vezes pode não ser muito fácil! Por isso resolvi partilhar aqui com vocês uma receita de vitamina para diminuir o estresse! Alguns alimentos podem nos ajudar a combater o estresse, veja quais são e como preparar uma receita bem gostosa a seguir!


segunda-feira, 11 de março de 2013

Barra de proteína caseira


Barra de proteína caseira super nutritiva, boa opção para lanches intermediários e até imediatamente após os treinos.
Espero que gostem!


Ingredientes

  • 4scoop(s) de whey protein sabor chocolate ou baunilha
  • 1 ½xícara(s) de chá de aveia em flocos (melhor se forem grossos)
  • 1/2xícara(s) de chá de quinua em flocos
  • 1/2xícara(s) de chá de mel
  • 2claras de ovos grandes
  • 1colher(es) de café de canela em pó (opcional)
  • 1colher(es) de sopa de cacau em pó (opcional)
  • 2colher(es) de sopa de água
  • 1colher(es) de sopa de óleo de coco virgem
  • 1xícara(s) de chá amendoim torrado sem sal

Receita: Brigadeiro de aveia


Ingredientes
- 3 colheres (sopa) de farinha de aveia
- 1 colher (sopa) de cacau em pó
- 1 lata de leite condensado (pra quem deseja evitar a lactose pode trocar por leite condensado de soja)
- aveia em flocos a gosto para decorar 
Preparo:

sexta-feira, 8 de março de 2013

terça-feira, 5 de março de 2013

MUSCULAÇÃO E ...


...EMAGRECIMENTO: a dieta deve ter um valor calórico reduzido, porém continuar rica em proteínas e carboidratos de qualidade. Se houver uma restrição muito rígida de nutrientes as consequências serão a perda de força, resistência e você irá usar músculos como fonte de energia na recuperação. O praticante deve se programar para comer pequenas quantidades de alimentos de 3-3 horas, melhorar a qualidade das refeições e evitar fast-foods, massas gordurosas, refrigerantes e doces.  Quem pratica musculação para emagrecer, deve caprichar nas frutas, legumes e verduras, carnes magras, laticínios desnatados e cereais integrais.
...GANHO DE MASSA: a palavra chave é disciplina! A dieta deve ter uma maior quantidade de calorias para o aumento de massa. Mas, não é porque o indivíduo quer ganhar peso que poderá comer tudo o que quiser, afinal, se ele fizer isso poderá até aumentar seu peso total, porém irá ganhar gordura corporal também. A dieta dever ser rica em carboidratos e proteínas. Esse tipo de praticante, com o passar dos meses, poderá necessitar de algum tipo de suplementação para melhorar os resultados e aumentar a força, porém, eles só devem ser indicados por um nutricionista.
...MANUTENÇÃO DE PESO E FORTALECIMENTO MUSCULAR: aplicam-se as regras de manutenção alimentar baseada em alimentos saudáveis. Uma dieta saudável é baseada em variedade, numa dieta colorida, diminuição dos grupos de gorduras saturadas e açúcares. 
Então, se você é praticante de musculação e possui algum objetivo, saiba que a alimentação adequada ao seu tipo de treino fará um grande diferencial, pois ela ajudará você a atingir seus objetivos mais rápidos e de forma correta e também melhorar sua motivação.

Venha conhecer as estratégias nutricionais com plano alimentar personalizado para praticantes de atividade física. Emagrecimento e ganho de massa muscular.
Boa semana pessoal. Espero que seja bem produtiva. Beijos


Não existe "fórmula mágica", a única receita que funciona é: DIETA

Pessoal li esse post de uma colega e achei interessante postá-lo aqui.

DIETA!!!
Ô palavrinha que arrepia tanta gente, não é? Mas coitadinha, ela é apenas mal compreendida! Não sei porque e nem por quem associaram seu "nome" a "passar forme"! Opa... na verdade sei sim, foram sedentários que passaram anos acumulando gordura e mais gordura até que um dia se olharam no espelho e resolveram que não queriam mais estar daquela forma. E o que fizeram? Rende
ram-se ao imediatismo de inúmeras "dietas da moda", tais como a de Beverly Hills, da Sopa, da Lua e do RAIO QUE O PARTA! E TREINAR QUE É BOM MESMO NADA! Afinal, ainda por cima são preguiçosos! Pior ainda é ter que ouvir de "algumas madames", ahh depois eu faço uma LIPO! É melhor então expor o organismo ao terrível "EFEITO SANFONA" (claro, porque fácil vai, fácil vem) trazendo sérios riscos à saúde. Tenha a SANTA PACIÊNCIA!

Caríssimo(a)s DIETA PARA QUEM TREINA não significa e nunca significou tal coisa. DIETA quer dizer, manter uma alimentação equilibrada em calorias, nutrientes e nos horários corretos. 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

WHEY - "suplemento obrigatório"


Whey Protein é o Caminho.
 É um dos suplementos que você deve considerar primeiro, quando iniciar um programa de fortalecimento muscular ou perda de gordura com exercícios.

Li este post no blog da Dani Tamega e resolvi compartilhar aqui. Quem escreveu esse texto foi Jim Stoppani, que tem  doutorado em fisiologia do exercício e nutrição tem sido o consultor de saúde para algumas celebridades, como LL Cool J, Dr. Dre, 'The Rock' Dwayne Johnson, e muito mais.
WHEY
Proteína do soro em pó um "suplemento obrigatório" para quem quer construir  músculos, desempenho, a gordura corporal baixa, e melhorar a saúde e bem estar.
Whey protein é uma fonte de rápida de absorção de proteína para dar suporte muscular! Ótimo para qualquer hora do dia - especialmente pós-treino! Whey faz tudo para você.
Então, como ele funciona? Quanto é suficiente? Devo usá-lo?
Sim, é a resposta simples para a terceira questão. Os dois primeiros, no entanto, vai exigir alguma explicação. Então vamos abrir a tampa do nosso suplemento favorito  dar uma olhada nas maravilhas da proteína do soro de leite.
O que é o Whey? 
O Soro em si é extremamente comum. Na verdade, você provavelmente está usando a proteína de soro de leite desde a infância. Whey é realmente uma das duas proteínas encontradas no leite de vaca. Caseína representa cerca de 80 por cento da proteína do leite,  e o whey para os restantes 20 por cento.
Quem nunca abriu um pote de iogurte e encontrou um líquido claro flutuando em cima? Sim, isso é whey. Não vá tomar esse liquido, porque ainda não é a proteina que precisa. 
Uma vez que o soro foi extraído e isolado, é filtrado para remover gordura e carboidratos. O que resta é a proteína que você ama. Então, quanto mais o whey é filtrado, mais puro  a proteína se torna. Como a filtragem existe um aumento na qualidade da proteína, e uma diminuiçõa dos carboidratos e a gordura. Embora isso pareça simples, o processamento necessário para fazer a proteína de soro de leite é um pouco mais avançado.