quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Dicas e benefícios para sua saúde sobre as frutas oleoginosas. Aproveite as dicas para as festas de fim de ano!


Frutas Oleoginosas e seus benefícios para saúde!

As frutas oleaginosas, comumente apreciadas nas festas de final de ano, são bastante conhecidas pelo seu alto teor calórico, porém podem trazer também grandes benefícios para a saúde.
Amendoim, castanha-do-Brasil ou castanha-do-Pará, castanha de caju, avelã, amêndoas, nozes, pistache, macadâmia, entre outras, podem exercer diversos benefícios a nossa saúde, quando ingeridas em associação a uma alimentação saudável. Isso se deve à sua composição, pois são ricas em ácidos graxos mono e poliinsaturados que auxiliam o controle dos triglicerídeos, colesterol total e LDL-colesterol, diminuindo o risco de desenvolvimento de doenças cardíacas. 

Além disso, são ricas em outros nutrientes essenciais para o equilibrio do nosso organismo, como a vitamina E, selênio e manganês que exercem diversas funções em nosso organismo, além de atuarem como potentes antioxidantes, removendo os radicais livres produzidos em excesso pelo nosso organismo. Também são ricas em magnésio, que participa de inúmeros processos, como a adequada entrada de cálcio nos ossos, contração muscular, ação antiinflamatória e regulação da pressão arterial. A arginina, também presente, atua como importante vasodilatador, contribuindo para a redução do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Nozes: são as fontes mais ricas de vitamina E. A maioria das nozes são ótimas fontes de potássio, sendo ricas também em vitaminas do complexo B. O valor calórico das nozes em média é de 651kcal/100g.

Macadâmia: é a oleaginosa mais calórica (cerca de 1000 kcal por xícara), porém possui quantidades significativas de fibras e vitamina B1.

Castanha-do-Pará ou Castanha-do-Brasil: destaca-se por ser bastante calórica (656kcal/100g), no entanto, seu diferencial é possuir ácidos graxos ômega-3 e grande quantidade de selênio.

Avelãs e Amêndoas: ambas contém cerca do mesmo valor calórico (589kcal/100g), sendo que ambas possuem uma quantidade significativa de nutrientes diferentes. As amêndoas são riquíssimas em vitamina E e potássio. As avelãs por sua vez, são ricas em cálcio e vitamina E.

O ideal é consumir estes alimentos em quantidades que atinjam as recomedações diárias das substâncias presentes em sua composição. Pode-se consumir, por exemplo, uma porção moderada de frutas oleaginosas por dia: uma castanha-do-Pará, duas castanhas de caju ou duas nozes. Deve-se lembrar que a quantidade varia de indíviduo pra indivíduo e depende de fatores como: obejtivo a ser alcançado, patologias, composição corporal, etc. Lembrando que para atletas e praticantes de atividade físicas, as oleaginosas são potentes aliados.

As oleaginosas são muito versáteis e combinam com qualquer sabor. Por exemplo, podemos fazer um bolo integral com nozes; picar e adicionar ao arroz com uvas passas; consumir em conjunto com frutas; como parte de um prato principal (aves, peixes); uma porção de oleaginosas sortidas que pode ser um dos lanches intermediários do dia-a-dia. Ou seja, o que vale é a criatividade para colocar as oleaginosas na nossa alimentação!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Azeite de oliva atua na prevenção de doenças cardiovasculares.

O azeite de oliva é composto em sua maior parte por um tipo benéfico de gordura, a monoinsaturada, que não eleva o nível de colesterol no sangue. No caso do azeite extra virgem, há ainda a presença de compostos antioxidantes e com efeito anti-inflamatório que lhe conferem ação antiaterogênica, ou seja, evitam o acúmulo de gordura nas paredes das artérias, atuando assim na prevenção de doenças cardiovasculares.
O azeite pode ser usado em diversas preparações, seja para cozinhar ou para temperar uma salada; só não pode ser submetido a temperaturas muito altas (como em preparações muito demoradas ou frituras), pois assim seus compostos benéficos são perdidos.
Para redução do risco de doenças cardiovasculares, recomenda-se o consumo de pelo menos 2 colheres de sopa de azeite extra virgem por dia. Por ser uma gordura, ainda que saudável, possui um alto teor energético (cerca de 72kcal por colher de sopa), e por isso deve ser consumido com moderação por pessoas que desejam alcançar ou manter um peso adequado.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Pesquisas apontam que ingrediente do vinho bloqueia o crescimento de células do câncer de mama.


                                                                                    Amigo do peito


Uma nova pesquisa revelou que o resveratrol, considerado o ingrediente saudável do vinho tinto, bloqueia o crescimento de células do câncer de mama.
Segundo cientistas da Universidade da Calábria (Itália), o resveratrol bloqueia os efeitos do hormônio estrogênio, reduzindo os receptores específicos das células do câncer de mama.
Apesar dos seguidos estudos que concluem pelos benefícios do composto presente no vinho tinto e nos sucos de uvas escuras, esta é a primeira vez que se demonstra sua ação especificamente contra o câncer de mama.

Resveratrol
"O resveratrol é uma ferramenta farmacológica que pode ser usada quando o câncer de mama se torna resistente à terapia hormonal," afirma o Dr. Sebastiano Andò, membro da equipe.
Ele e seus colegas usaram linhagens de células do câncer de mama, que expressavam o receptor do estrogênio, para testar os efeitos do resveratrol.
Os pesquisadores trataram um grupo de células com o composto e compararam seu crescimento com as células não-tratadas.
O estudo mostrou uma redução no crescimento das células tratadas com resveratrol, e nenhuma modificação, isto é, crescimento normal, nas células não-tratadas.

Produtos naturais
Experimentos adicionais revelaram que o efeito deu-se devido a uma drástica redução nos níveis dos receptores de estrogênio das células, o que foi causado pelo resveratrol.
"Estas descobertas são entusiasmantes, mas de jeito nenhum significam que as pessoas devem sair e começar a beber vinho tinto ou suplementos como tratamento para o câncer de mama," alerta o pesquisador.
"O que estas descobertas significam é que os cientistas ainda não terminaram o trabalho de destilar os segredos da boa saúde que estão escondidos em produtos naturais, como o vinho tinto," concluiu Andò.

Conheça uma nova linha de produtos nutricionais á base de Açaí!

MONAVIE produtos nutricionais



Hoje iremos falar de uma empresa em expansão no mercado que é a MONA.VIE, já ouviram falar?
A MONAVIE é uma empresa de produtos nutricionais que são desenvolvidos com base na filosofia de equilíbrio-variedade-moderação, ou seja, ingredientes escolhidos na medida certa unidos em um produto com o objetivo de trazer benefícios a saúde aliados a uma alimentação balanceada e atividade física.

Os produtos estam sendo provados, e pode se perceber bem estar na utilização, além de proporcionarem um ótimo sabor, cheiro e o cuidado das embalagens faz com que o produto já faça bem visivelmente. Vamos a descrição dos produtos:
MONAVIE NUIT – Um produto formulado pensando na noite, afinal após um dia de estresse, muito trabalho nada melhor do que uma boa noite, até por que uma noite de qualidade faz com que o dia futuro seja proveitoso. Bebida deliciosa, à base de inositol, com sabor limão, erva doce, erva cidreira, camomila e frutas.
MONAVIE EMV Um energético que nos chamou a atenção pela baixa concentração de cafeína do que os que conhecemos no mercado, são usadas as forças das frutas vermelhas e base de açaí, guaraná e 14 frutas.

MONAVIE ACTIVE – 19 frutas, com adição de colágeno hidrolisado e naturalmente rico em vitamina C que sabemos que potencializa a absorção.
Para maiores informações sobre os produtos e até mesmo adquiri-los entre em contato:






Estamos provando o produto e indicando pois isso é viver uma vida com mais sentido.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Açaí, além de delicioso é uma excelente opção para esportistas!

O conteúdo de ontem falava sobre a importância dos antioxidantes no nosso organismo e na prática de atividade. Hoje vamos conhecer um pouquinho sobre o açaí e seus benefícios para nossa saúde e para aqueles que praticam atividades físicas.
acai071111

Além de repor as suas energias, rico em vitaminas é um poderoso antioxidante.
O açaí é muito nutritivo, rico em ácidos graxos que diminuem o depósito de gordura nas artérias, prevenindo doenças cardiovasculares, além de potássio, magnésio, vitamina E, vitaminas do complexo B, poderosos compostos antioxidantes.

Durante o exercício (principalmente de longa duração), o consumo de oxigênio cresce e gera um aumento de radicais livres no organismo (substâncias que causam uma ação negativa às células). O açaí é uma alternativa, pois é uma excelente fonte de antioxidantes que combate esses radicais livres.
Pelo seu elevado teor energético, pode ser consumido antes ou depois da atividade física. O suco de açaí tem menor valor calórico (em relação à polpa) e é uma ótima opção antes da atividade física. Já a polpa com granola é indicada para o pós-exercício, pois é ideal para a reposição de vitaminas, minerais e glicogênio muscular.

O açaí ajuda também no bom funcionamento intestinal, já que possui boa quantidade de fibras.
Por conta do alto teor energético, ao contrário do que se imagina, não há necessidade de adição de outros ingredientes como xarope de guaraná, mel, cacau e quantidades elevadas de granola.
A polpa de açaí tem propriedades nutritivas que garantem as reposições energéticas, fazendo com que seja um excelente alimento para quem deseja ganhar massa muscular, melhorar ainda mais sua saúde ou até mesmoperder peso.

Para aqueles que querem aumentar a massa muscular, a dica é ingerir 4 colheres de sopa da polpa de açaí com mel e granola logo após a atividade física. Já para os que almejam perder alguns quilinhos extras, um copo de suco de açaí logo após a atividade é uma opção para a reposição energética.

Referências:
SOUZA, A. das G. de; SOUSA, N. R. de; SILVA, S. E. L. da; NUNES C.D.M.; CANTO, A. do C.; CRUZ, L A. de A. Fruteiras da Amazônia. Brasília: Embrapa–SPI 1996. 204p.
Oscar Nogueira Lameira e outros. A cultura do açaí. Embrapa – SPI / CPAF Amazônia Oriental. Coleção Plantar: 26. 1995. 50 p.
FRANCO, G. Tabela de Composição Química dos Alimentos. Editora Atheneu. 9ª ed. São Paulo: Editora Atheneu, 1999. 307p.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Antioxidantes!

Bem, a dica e informações de hoje é sobre os antioxidantes, substâncias essenciais para o nosso organismo. Vale a pena você ler!


video


 
O que são os radicais livres?


Para compreender o que são os radicais livres, é necessário esclarecer que todas as células do corpo humano necessitam constantemente de oxigênio para converter os nutrientes absorvidos dos alimentos em energia. Entretanto, a queima do oxigênio pelas células (oxidação) tem seu preço: libera moléculas de radicais livres que são instáveis e apresentam um elétron com carga negativa que tende a se associar muito rapidamente a outras moléculas de carga positiva com as quais pode reagir ou oxidar. Dessa forma, esses radicais podem danificar as células sadias do nosso corpo, sendo que o bombardeamento excessivo por essas moléculas danifica o DNA das células, bem como outros materiais genéticos.


Os radicais livres reagem com outras moléculas, durante essa reação, eles acabam por desestruturar aquelas moléculas com as quais reagiram, danificando as mesmas. Vitaminas, carboidratos, proteínas e lipídeos são algumas das moléculas em nosso organismo que podem ser danificadas pelos radicais livres.

Tais danos cometidos pelos radicais livres são indicados também como potencializadores do surgimento de certas doenças. Além disso, os radicais livres também são associados ao câncer e envelhecimento.

Sendo assim, é importante que controlemos a quantidade de radicais livres em nosso organismo a fim de evitar os malefícios que podem ser causados pelo acúmulo indevido de radicais livres, mas… como?


O que pode aumentar a produção de radicais livres?


Conforme já fora mencionado, os radicais livres surgem naturalmente por meio da respiração celular. Sendo assim, um dos mecanismos que aumenta a produção dos mesmos é a prática de exercícios físicos, principalmente os prolongados e intensos pois, durante os exercícios físicos, sua respiração é aumentada e, por não suprir todas as necessidades, outras reações auxiliares são desencadeadas, levando a um aumento da produção de radicais livres.


O ambiente em que vivemos também é responsável pelo aumento da produção. Poluição ambiental e exposição excessiva ao sol também podem ser responsáveis.

Mas não podemos esquecer dos hábitos da pessoa: alcoolismo, tabagismo, stress e uma alimentação incorreta também possuem “culpa no cartório”.


E os antioxidantes? O que eles fazem?


O termo antioxidante é utilizado para denominar a função de proteção celular contra os efeitos danosos dos radicais livres. Alguns nutrientes, naturalmente presentes ou adicionados nos alimentos, possuem propriedade antioxidante.

Os antioxidantes são substâncias que, em contato com os radicais livres, reagem, neutralizando os mesmos. O nosso organismo produz antioxidantes, entretanto de acordo com a situação em que nosso organismo se encontra pode não ser suficiente.



E é aí onde a boa alimentação pode nos ajudar, ao oferecer nutrientes que são antioxidantes e que, portanto, participarão deste combate contra o excesso de radicais livres.

 

Quais nutrientes são antioxidantes? 


São vários os nutrientes que têm essa ação no organismo. Entre eles, estão as vitaminas C e E, carotenoides e isoflavona. A eficiência da função dos antioxidantes derivados da alimentação depende da sua biodisponibilidade e da ingestão de quantidades adequadas do nutriente. No entanto, o consumo excessivo de algumas vitaminas antioxidantes pode causar hipervitaminose, que nada mais é do que uma quantidade exagerada de vitamina no organismo.

Alguns estudos provaram que alimentação rica em hortaliças e frutas está associada com a baixa incidência de doenças crônico-degenerativas, como alguns tipos de câncer (pulmão, mama, próstata) e doenças cardiovasculares, efeitos fotoprotetores, como também efeitos de substituição hormonal. Um exemplo: o consumo de soja é eficaz na redução do risco de doença cardíaca coronariana e na redução dos níveis de LDL (mau colesterol) e aumento de HDL (o bom colesterol).

Embora ainda não se tenha certeza dos quais componentes bioativos presentes na soja sejam responsáveis por essa função antioxidante, acredita-se que a isoflavona, que também tem similaridade com o hormônio estrogênico, entre outros compostos presentes no alimento são responsáveis por esse efeito protetor.

Que alimentos são ricos em antioxidantes?

Um conselho que posso oferecer é que leia sobre cada um dos nutrientes que supra-citamos como sendo antioxidantes. Assim sendo, já conhecendo os nutrientes antioxidantes, aqui está uma lista dos alimentos mais indicados pela sua ação antioxidante:

  • Vários vegetais e frutas, como: açaí, repolho, morango, beterraba, ameixa, pimenta vermelha, laranja, brócolis, uva, espinafre, maçã, batata, tomate, milho, banana, pêra, melão, azeitonas, etc;
  • Produtos de origem vegetal, como o vinho tinto, azeite, chá verde e cacau;
  • Alimentos ricos em ômega 3, como peixes.

Informações sobre Suplementos vitamínicos em casos de tratamento de câncer

Os suplementos vitamínicos podem reduzir a eficácia dos tratamentos contra o câncer, segundo revisão de estudos publicada no periódico "Journal of the National Cancer Institute", em 2008. De acordo com os autores, esses suplementos com antioxidantes poderiam bloquear o processo pelo qual os agentes da radioterapia e da quimioterapia destroem os tumores.

As duas terapias funcionam induzindo a criação de radicais livres, moléculas que, em grandes quantidades, danificam o DNA e algumas proteínas. E os antioxidantes "varreriam" os radicais livres, que, em níveis normais, são benéficos para a saúde. Assim, suplementos como os de vitamina E e de beta-caroteno poderiam reduzir o poder dos tratamentos contra o câncer.


Algo mais a se falar?


Se você quer ter uma vida saudável, é bom tomar alguns cuidados para evitar a produção de muitos radicais livres em seu organismo. Somente consumir mais antioxidantes pode não ser suficiente!

Evite o consumo de álcool ou tabaco, bem como a exposição excessiva aos raios solares.

Procure viver em uma área longe de poluição e não deixe de praticar exercícios físicos – apesar de serem responsáveis pelo aumento de radicais livres, os exercícios físicos são responsáveis por inúmeros benefícios ao nosso organismo.


Além disso, pessoas que praticam exercícios físicos regularmente sofrem menos com a ação dos radicais livres, pois a atividade física regular aumenta a produção de enzimas que os destroem.